O caminho da manhã

Podia ser em muitos lugares, mas é em Lagos, o caminho do mercado descrito à sua empregada :
"Vais pela estrada que é de terra amarela e quase sem nenhuma sombra. As cigarras cantarão o silêncio de bronze. À tua direita irá primeiro um muro caiado que desenha a curva da estrada. Depois encontrarás as figueiras transparentes e enroladas; mas os seus ramos não dão nenhuma sombra. E assim irás sempre em frente com a pesada mão do Sol pousada nos teus ombros, mas conduzida por uma luz levíssima e fresca. Até chegares às muralhas antigas da cidade que estão em ruínas. Passa debaixo da porta e vai pelas pequenas ruas estreitas, direitas e brancas, até encontrares em frente do mar uma grande praça quadrada e clara que tem no centro uma estátua. Segue entre as casas e o mar até ao mercado que fica depois de uma alta parede amarela. (...)" Sophia de Mello Breyner Andresen - O Caminho da Manhã
Leia o resto do poema no blogue da biblioteca EB23 nº1 de Lagos
http://planetabiblioteca.blogspot.com/2008/02/lagos-e-poesia-de-sophia.html

Veja ainda documento PDF como promoção da autora do mês
http://planetabiblioteca.blogspot.com/2008/02/escritor-do-ms-de-fevereiro.html