Fontaínhas e Sesmarias novas bibliotecas


Feitas de terra e madeira e aquecidas pelos raios solares, as ampliações das EB1 das Fontainhas e Sesmarias transformaram-se num projecto pioneiro a nível nacional. Escolas "amigas do ambiente e da comunidade escolar" será um conceito a seguir.

Estas intervenções resultam de um projecto pioneiro em termos de construção, com recurso a materiais recicláveis e a energias renováveis. As paredes exteriores dos dois edifícios são feitas de taipa, um material ecológico que permite um controlo da temperatura no interior do edifício, proporcionando ambientes confortáveis às crianças, quer de Verão quer de Inverno. No interior foi utilizado o adobe, uma técnica milenar de construção de paredes que irá proteger os alunos das condicionantes térmicas e acústicas desfavoráveis. A estrutura que ampara a cobertura destes edifícios "amigos do ambiente" é toda ela feita numa das mais nobres matérias-primas da natureza - a madeira.

O recurso a energias naturais é outra das inovações implementadas na construção destes espaços. O aquecimento das águas e a produção eléctrica são obtidos através de painéis e colectores solares fotovoltaicos, assim como o aquecimento e arrefecimento da EB1 das Sesmarias é conseguido por meio de um sistema de geotermia. Esta escola dispõe ainda de uma cisterna para onde escoam as águas pluviais, que serão aproveitadas para regar a futura horta pedagógica.
"Estas ampliações constituíram um grande desafio para a autarquia, por serem a primeira experiência municipal deste género", confessou o Vice-Presidente José Carlos Rolo. "Estas escolas ímpares a nível nacional aliam as tradicionais técnicas de construção às novas tecnologias, com as salas de aula equipadas com material interactivo", acrescentou. O responsável pelo pelouro da Educação adiantou ainda que a nova EB1 de Ferreiras será construída de raiz com recurso a estes métodos ancestrais.

Ambas as ampliações vieram dotar os estabelecimentos de ensino de mais duas salas de aula, sala de professores, biblioteca, refeitório e sanitários. As bibliotecas dispõem de um espaço para leitura e de outro para informática, dando a possibilidade aos alunos de adquirir e expandir os seus conhecimentos nas mais vastas áreas.
"Estas serão duas das melhores bibliotecas escolares do concelho que pretendemos colocar ao serviço de toda a comunidade, facilitando o acesso à leitura e à Internet", referiu José Carlos Rolo.

Na entrada de cada escola existe um quadro pedagógico com os parâmetros de produção de energia fotovoltaica, onde os alunos podem visualizar diariamente os valores e potência de radiação solar, a energia total captada e o CO2 evitado. Na EB1 das Sesmarias existe também um painel com a explicação das técnicas e materiais de construção utilizados no edifício. "A própria escola surge agora como um manual, uma fonte de informação que permite aos alunos aprenderem sobre educação ambiental", salientou Aurélio Nascimento, Director do Agrupamento Vertical de Escolas de Albufeira Poente.

Fonte: CM Albufeira - Nota de Imprensa N.º 397 (com texto e fotos adicionais)