Amendoeiras florindo ao luar

Na primeira manhã de primavera, no dia da árvore, no dia da poesia, uma poetisa algarvia.

Ao de leve
De mansinho
Cai a neve
No caminho…

E o luar desce do céu
Como um véu
De uma noiva encantadora,
Que a cismar
O estendesse a voar
Aos pés de Nossa Senhora.

E por toda a Natureza,
Como um murmúrio de reza
Fica nossa alma a sonhar,
Absorta horas inteiras
Na branca luz do luar,
Na flor das amendoeiras.

Umas de cândida alvura
- Que nem a neve mais pura –
E a cor das outras rosada,
Aquela mimosa cor
Com que o celeste Pintor
Tinge o céu de madrugada.

Charnecas são um encanto,
As planícies outro tanto
E assim,
Em cada canto e recanto,
O Algarve é um jardim!

E a lua sobe a sonhar,
Envolta em véu de tristeza,
Que a sua voz – o luar
Tem mistérios de beleza…

Anda um perfume ao de leve,
Vago e breve,
A evolar-se no ar…
No céu azul, luz e cor,
Há pétalas no caminho,
E o vento ensaia baixinho
Uma alegria de amor.

Vem o orvalho chorar
Pelos vales e montanhas
Diamantes a brilhar,
Em que depois o luar
Põe fulgurações estranhas

Oh! meu Algarve! Canteiro
Que no Inverno é mais lindo,
Com seu luar de Janeiro
E amendoeiras florindo!

Maria da Conceição Elói 'Madressilva'
[n. Paderne em 31/08/1898  f. Faro em 7/12/1979]

link do artigo - http://albufeirasempre.blogs.sapo.pt/325210.html

Imagens: 
http://plantas-medicinais.me/2009/05/oleo-de-amendoeira.html
http://plantas-medicinais.me/2009/05/amendoeiras-em-flor.html
http://sol.sapo.pt/blogs/mariacidalia/archive/2007/11/20/Flores-da-Amendoeira.aspx